Sabemos que as preocupações do cotidiano tendemos a aumentar o nível de estresse e que esse excesso diário consequentemente nos leva a exaustão ao fim do dia, esperamos uma ótima noite de sono e que seja reparador a ponto de nos revigorar para que tenhamos bastante disposição para o dia seguinte. Mas, infelizmente, não é bem isso que acontece com grande parte da nossa população, devido a diversos fatores não possuem boa qualidade do sono, e isso pode implicar em vários desiquilíbrios em diversas funções biológicas, assim como: baixa serotonina, dificuldades de concentração, memória e até mesmo depressão. 

O que é o triptofano?

O L-triptofano é um aminoácido essencial que se destaca pela síntese de serotonina. A serotonina é um neurotransmissor que influência em basicamente todas as funções cerebrais, regulando o humor, e quando em baixa disponibilidade afeta o apetite podendo evoluir a um quadro de depressão.

Os alimentos ricos em triptofano são: castanhas, peixes, semente de abóbora, chia, queijos mais maturados e leguminosas como soja e feijões.

Segundo estudo realizado por SEZINI sobre nutrientes e depressão, hoje a suplementação com triptofano é uma maneira de prevenção de transtornos causados pelos baixos níveis de serotonina, além de já ser aplicada como coadjuvante no tratamento farmacológico com inibidores da recaptação de serotonina, na tentativa de potencializar o tratamento.

Como suplementar: 

É importante ressaltar que a dose da suplementação de triptofano pode variar de acordo com as necessidades de cada indivíduo, além disso, é necessário optarmos por priorizar a prática de hábitos saudáveis e uma alimentação balanceada.  

Dra. Stephani Cardoso
Nutricionista 
CRN:54805 

Referências:

  1. SEZINI, Angela Maria; GIL, Carolina S.G.C. Nutrientes e depressão. Vita et sanitas, Trindade, n.08, jan-dez, 2014. SUGA, H. et al.
  2. Association between habitual tryptophan intake and depressive symptoms in young and middle-aged women. Journal of Affective Disorders, v. 231, n.15, p.44-50, abril., 2017.